A Receita para ser Top Coach?

Dia 11 de Julho de 2016 ficou registado na minha história. Nesse dia, surpresa, comemorei a recepção do meu certificado como Top Coach, destacada por um estudo independente efetuado, e que foi publicado na revista líder do sector negócios, FOCUS, na Alemanha. Esta é uma atribuição histórica, única e uma recompensa de um longo trabalho.

KarinaFocus2016.

Após ter partilhado no meu facebook pessoal – Karina.M.Kimmig, e nas redes sociais da MORE, a pergunta que se seguiu foi – Qual foi o caminho trilhado para chegar a Top coach?

Antes de lhe revelar a resposta, na minha mente seguiram-se outras perguntas – o que fez e faz a diferença para cada cliente no seu processo? Qual é a base do meu trabalho? Quem está comigo neste processo?

Ao refletir sobre estas perguntas, eu reuni 4 pontos que resumissem os principais aspectos, 4 pilares que me levaram a este Óscar, digamos assim, na minha área. Mesmo que o seu interesse não seja coaching, continue a ler. O que eu passarei a descrever serve para qualquer pessoa, em qualquer profissão.

Eu acredito que todos nós, tal como escrevi no livro, temos a capacidade de sermos o nosso próprio mestre. Sermos o nosso próprio mestre permite-nos conhecer o nosso potencial, os nossos talentos, o que queremos e o que não queremos, termos objectivos congruentes com a nossa essência. Para resumir bemmmm neste breve artigo, numa palavra, o que isto significa? Auto liderança.  Ser seu próprio líder implica autoconhecimento, mudança interior e amar o seu lado sombra e o seu lado luz.

Como o meu objectivo aqui não é escrever sobre o livro (quem quiser saber mais sobre o livro, veja a entrevista pública que irei conceder no dia 25.07), o que quero ressaltar é o investimento que fiz no meu trabalho interior. Trabalhar com outro ser humano e respeitá-lo, passa por trabalhar comigo em primeiro. É trabalhar na auto-aceitação, retirar o lado bom das experiências difíceis, descobrir os talentos escondidos, e saber, de forma clara, para que direcção se guia a vida. Quanto melhor você se conhece, melhor pode compreender o outro. Isso serve na sua relação amorosa, na sua relação com um chefe ou com um cliente.

Três pontos essenciais somam-se a autoliderança:

1 – Entrega. Nas certificações eu ensino várias técnicas para melhorar a comunicação, a empatia, construir uma relação de confiança com o cliente, para que este entre “de cabeça” num processo de coaching. Porém, existe um ingrediente que advém da pessoa, e que não se ensina – a entrega de si. Ou seja, como o coach se entrega ao seu cliente. Pelo feedback que eu obtenho, estou a 200%. Isso tem feito a diferença! Por mais técnicas que existam, qualquer ser humano rapidamente sente se quem está ali, é um profissional orientado para o apoiar, se está por alma ou não.

2 – Metodologia. A sessão não é apenas feita de empatia e boa relação. É preciso eficiência, um método que dê resultados e objetivos atingidos. Sem método, estrutura e técnicas não se chega longe com o cliente. A MORE Humanistic Methdology faz uma enorme diferença. A forma distinta com que trabalhamos o objectivo, as técnicas que desenvolvemos, a estrutura e organização da própria sessão, o saber trabalhar com cada cliente de forma personalizada, e o humanismo como valor intrínseco, me traz a certeza que é a base do meu sucesso e de muitos outros profissionais que formamos.

3 – Dedicação. A dedicação implica trabalho, entrega e empenho. É a exploração de novas soluções, entender o que cria impacto no cliente, como incorporar as novas descobertas científicas, entre outros aspectos, que levam a constante melhoria de competência.

A receita para ser Top Coach? Trabalho interno e externo, dedicação, entrega, amor à camisola, humanismo e metodologia. Misture tudo, coloque no forno com o grau de anos e obterá a recompensa no final.

 

 © MORE Institut Ltd.
Autora: Karina M. Kimmig, Humanistic Coach Master Trainer-IHCOS®, Master Trainer PNL,
Presidente da IHCOS, IN, ICI, Vice-Presidente da ECA.
Em MOREletter, 20.07. 2016